top of page
  • Foto do escritorLisa Cardozo

Quer ser uma aceleradora de talentos? Comece pelo começo!


O jogo é sujo, vai ganhar mais quem erra menos

Eu fiz meu próprio caminho e o meu caminho me fez (Triunfo, Emicida)


Parafraseando o mestre Emicida, é na jornada que o desenvolvimento acontece, e nessa jornada terá tropeços, obstáculos, frustrações, mas todo momento será valioso para o crescimento, e com transparência, ética e responsabilidade da relação pessoa colaboradora e empresa, a verdadeira aprendizagem irá acontecer e se reverterá em performance. Afinal, queremos nos desenvolver para construir legado e impactar negócios, (alô rh, alô talento, lembrem-se sempre disso!). A relação ganha-ganha não pode ser esquecida, nem pelo talento, acreditando que é uma grande família e nem pela empresa quando acredita que está dando uma oportunidade de ouro para um talento. E sim, é uma troca, que precisa envolver ações de desenvolvimento, oportunidade e entrega.


Mas quero conversar (vamos dizer que esse texto é um diálogo, combinado? ;) ) com as pessoas de RH, principalmente com quem cuida da estratégia de desenvolvimento. Você, você mesmo, que considera que alto impacto é cuidar do programa de desenvolvimento para C-level ou alta liderança, existe um mar de talentos que vão alavancar o negócio da sua empresa que não estão nesse grupo privilegiado. Isso não significa não olhar com atenção para estratégia de desenvolvimento da liderança sênior, mas esse tema vamos deixar para uma outra conversa, pois vale uma troca longa. Nosso foco nessa prosa é acelerar talentos, principalmente os de primeiros níveis. São pessoas com muita vontade de aprender, mas que precisam de atenção para ter uma jornada valiosa, afinal tudo é novo, orientação e desenvolvimento são essenciais para preparar futuros profissionais que podem transformar a sua empresa e/ou mercado.


Desenvolver jovens talentos nas empresas é um desafio complexo que requer atenção especial. A dificuldade reside na necessidade de criar um ambiente propício para o crescimento e aprimoramento desses profissionais promissores. Uma das principais dificuldades enfrentadas é a falta de investimento adequado em programas de desenvolvimento e mentoria. Muitas empresas focam apenas em contratar talentos já experientes, negligenciando o potencial dos primeiros níveis. Isso resulta em um desperdício de talento e um ciclo vicioso no qual os jovens têm poucas oportunidades de adquirir habilidades necessárias para avançar em suas carreiras.


Além disso, a falta de um plano estruturado para desenvolver jovens talentos pode levar a uma falta de clareza sobre as expectativas e metas a serem alcançadas. Sem um direcionamento claro, esses profissionais podem ficar desmotivados e desorientados, sem saber como progredir dentro da organização.


Há diversos desafios para atuar com esse público de profissionais, por isso quero compartilhar aprendizagens que tive ao trabalhar na aceleração de jovens talentos em empresas de tecnologia. Primeiramente uma boa jornada é desenhada estrategicamente para oportunizar espaço para aprendizado, e entregas que impactam diretamente o seu negócio. Além disso, manter o foco em gerar futuros líderes, especialistas e empreendedores com a qualidade que o mercado precisa, é necessário ter um olhar sensível para além da própria organização que o jovem talento está ingressando.


# O que eu aprendi:

A construção de um programa de desenvolvimento para jovens talentos nas empresas envolve diversos desafios, exigindo soluções criativas para superá-los. Desde o início, percebemos que o desenvolvimento não poderia ser restrito apenas aos selecionados, mas sim uma abordagem abrangente que se estendesse por todas as etapas.


Na fase de atração, por exemplo, foi importante criar uma trilha de autoconhecimento para apoiar todos os inscritos, preparando-os para o processo seletivo. Reconhecemos a importância de oferecer aprendizados valiosos a todos os participantes, independentemente do resultado final.


Durante o período de integração, dedicamos tempo para que os talentos mergulhassem na cultura da empresa, conhecessem os negócios e tivessem a oportunidade de interagir com líderes experientes. Essas interações ampliaram sua visão sobre as possibilidades de carreira dentro das organizações. Além disso, buscamos criar um ambiente colaborativo onde os jovens talentos pudessem se apoiar mutuamente, mesmo que fossem alocados em diferentes projetos. Para lidar com a quantidade de informações, implementamos uma estratégia de mentoria, envolvendo mentores com experiência prévia, que compartilharam suas vivências e ofereceram suporte durante a jornada. Essa abordagem contribuiu para promover um senso de segurança e pertencimento.


Após os três meses nas novas posições, iniciamos o programa de desenvolvimento, reconhecendo a importância de preparar esses jovens talentos para suas primeiras experiências profissionais. Nosso programa se baseou em três pilares principais: habilidades comportamentais, habilidades técnicas e compreensão do contexto de negócios. Esses pilares foram essenciais para acelerar o crescimento dos participantes ao longo de um ano. Os encontros combinaram teoria, compartilhamento de experiências e atividades práticas. Contamos com o acompanhamento próximo da liderança direta e de business partner que atuava como suporte dentro de cada área.


Através dessa abordagem abrangente e investimento no desenvolvimento holístico dos participantes, conseguimos proporcionar uma experiência enriquecedora e prepará-los de forma ampla para suas carreiras profissionais. Acredito que essa abordagem personalizada foi fundamental para o sucesso do programa e para o crescimento dos talentos independente da área de atuação.


Das experiências que tive, percebi que o que mais garante o sucesso para o programa de desenvolvimento de talentos é a gestão próxima para avaliar a experiência e o impacto do conhecimento no dia a dia. Por isso é importante a aplicação da pesquisa de satisfação com os/as participantes referente os encontros, liderança e business partners, essas pesquisas são essenciais para apontar as atenções necessárias e melhorar as experiências durante o desenvolvimento.


# Mais aprendizagens que tive algo longa da jornada de desenvolvimento de talentos:


  • Talentos precisam de facilitadores diversos; pessoas diversas e com repertórios diferentes, somente desta forma vão se sentir à vontade para dialogarem, criarem conexão e ampliarem suas percepções sobre o mundo corporativo.


  • Business partner ou ponto focal é o/a grande aliado(a), pois é a pessoa com olhar avançado em gestão de pessoas e conexão com o negócio, vai trazer com praticidade o impacto do programa na realidade das áreas.


  • Sem liderança não há aceleração. E essa liderança precisa ser desenvolvida para acolher, aproximar e desenvolver cada talento, e não simplesmente receber um ebook de boas práticas, mas sim trazer o/a líder para perto, construir o programa junto, apresentar formas de acompanhar carreira de um jovem talento, e possibilidades de fazer gestão para esse grupo de profissional que terão necessidades diferentes. Além de preparar, é preciso ouvir a liderança na jornada e ajustar a rota para melhor acompanhar e performar o seu time.


Investir no desenvolvimento de jovens talentos traz benefícios significativos para as empresas, impactando positivamente o mercado de trabalho como um todo. Ao construir uma rede de talentos de qualidade, as empresas têm a oportunidade de aproveitar o olhar fresco e inovador que cada jovem traz consigo. A curiosidade e a capacidade de questionar o status quo podem desafiar as lógicas estabelecidas, abrindo caminhos e promovendo novas formas de pensar, ou seja, ao enxergar esses jovens talentos como potenciais alavancadores do negócio, as empresas abrem espaço para a criação de soluções criativas e a adoção de abordagens inovadoras. Essa diversidade de pensamento contribui para a evolução contínua da empresa, impulsionando seu crescimento e competitividade no mercado.


E especialmente para pessoas de RH, atuar com o desenvolvimento de jovens talentos também impacta positivamente os indicadores-chave. Ao investir em programas de desenvolvimento, as empresas fortalecem sua marca empregadora, atraindo os melhores talentos do mercado. E o desenvolvimento contínuo desses jovens profissionais contribui para a formação de um time qualificado, reduzindo a dependência de contratações externas e o tempo necessário para preencher posições-chave.


Ou seja, investir no desenvolvimento jovens talentos é um investimento estratégico que traz resultados positivos para todos os envolvidos, potencializando a relação ganha-ganha para o negócio.









Comentarios


bottom of page